Visite o SPIN
SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

quarta-feira, 25 de março de 2009

Mesas




Nesta noite sonhei com uma sala contendo em seu interior mesas de escritório organizadas de forma geométrica
carteziana
racional
eu racional
assim como nesta imagem
Segue link para a imagem acima
http://www.vizibelli.com.br/web/images/stories/imagens/ilusoes/mesas.gif

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Andhei = Andrei

Este é o primeiro navio a ser batizado com um nome
Como cheguei a Andrei Tarkovsky
Nesta noite sonhei que a palavra "andei" estava escrita "andhei"
Andei = andhei = andrei
Isso
Qual a diferença
Nenhuma
Caso a língua portuguesa adotasses uns sinal de pontuação que não existem a reforma ortográfica se faria desncessária
Na verdade faltam alguns sinais na nossa língua, como por exemplo os sinais de diferença e semelhança
O sinal de diferença = deiscência não existe nos teclados de nossos computadores, por isso uso o jogo da velha #
O sinal de semelhança também não existe, no caso um traço de tamanho ilimitado sob a palavra "caput" e, abaixo deste traço de semelhança = deiscência, as palavras semelhantes como se fossem, e são denominadores comuns da palavra principal

sábado, 31 de janeiro de 2009

Itália: Governo rejeita violência mas prossegue operações contra ciganos

17 de Maio de 2008, 01:15

Roma, 17 Mai (Lusa) - O Governo italiano rejeitou sexta-feira a violência em Nápoles contra acampamentos de ciganos, na sua maioria originários da Roménia, ao mesmo tempo que continua com as operações para a expulsão de estrangeiros.

O ministro do Interior, Roberto Maroni, da Liga Norte, partido aliado do primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, qualificou de "injustificáveis" os recentes incêndios de cinco acampamentos ciganos vazios em Nápoles.

"Pode evitar-se que a raiva prevaleça sobre as regras de convivência civil e que se repitam episódios de injustificável violência como os que ocorreram lamentavelmente em Nápoles", disse o ministro, numa alocução durante a festa do 156/o aniversário do Corpo de Polícia.

Todavia, assegurou que o Estado dará todo o apoio necessário "para melhorar a segurança" da Itália.

É intenção do Governo "gerir com ordem e rigor a imigração interna e externa da União Europeia para garantir a convivência pacífica, de hoje e de amanhã, de todos os povos", acrescentou Maroni.

Enquanto Maroni pronunciava essas palavras, 11 romenos com antecedentes penais foram expulsos num voo directo para Bucareste.

Durante a noite, a capital assistiu a três controlos e operações noutros tantos acampamentos de ciganos em busca de imigrantes ilegais, onde foram detidas cinquenta pessoas que não tinham os documentos em ordem.

Tanto a violência vivida em Nápoles como o anúncio e a expulsão dos imigrantes que estão em Itália de forma ilegal ocorreram mal Berlusconi chegou ao poder.

Berlusconi e os seus parceiros fizeram da perseguição da pequena delinquência e da imigração ilegal uma das principais bandeiras na sua recente campanha eleitoral e, depois, no seu programa de Governo para esta legislatura.

O primeiro-ministro anunciou que no próximo dia 21 o Conselho de Ministros aprovará um decreto-lei sobre segurança pública e luta contra a imigração ilegal.

Até ao momento, ninguém em Itália parece objectar à actuação e aos anúncios do Governo, que não tiveram resposta por parte da oposição.

O diário "Corriere della Sera", sem citar fontes, escreveu sexta-feira que o presidente da República, Giorgio Napolitano, se mostrou "cauteloso" sobre o decreto-lei e exigiu para a sua entrada em vigor requisitos de "urgência e necessidade".

Essas observações foram interpretadas como uma resistência ao decreto por parte do chefe de Estado, mas o presidente da Câmara de Roma, Gianni Alemanno, da Aliança Nacional (direita), disse que o Governo estava de acordo com ele e que já tinha previsto que no decreto só figurem as medidas urgentes.

O ministro de Defensa, Ignazio La Russa, de visita ao Líbano, anunciou sexta-feira que "mais de dez" bases ali estacionadas, que já foram desmanteladas, serão transferidas para Itália e servirão, a partir de agora, como centros de acolhimento de clandestinos em vias de expulsão.

La Russa adiantou que se vai mudar o nome dos centros de acolhimento para chamá-los centros de identificação e expulsão, uma afirmação que contrasta com a proferida quinta-feira pelo seu colega do Interior que negou que estejam a ser preparadas expulsões maciças, proibidas pela União Europeia.

Um porta-voz da Comissão Europeia (CE) assegurou que a Itália não violou "até ao momento" as leis comunitárias sobre a livre circulação de pessoas.

Todavia, a mesma Comissão recordou quinta-feira à Itália que a expulsão de estrangeiros deve fazer-se "caso a caso", enquanto a Roma chegaram notícias de uma manifestação em Bucareste contra "xenofobia e a discriminação" em Itália.

O governo espanhol expressou sexta-feira desacordo sobre a política de imigração do executivo italiano e sublinhou que "rejeita a violência, o racismo e a xenofobia e, por isso, não pode partilhar o que está a suceder em Itália".

Esta posição foi assumida pela vice-presidente do governo espanhol, Maria Teresa Fernández de la Vega, no final da reunião semanal do Executivo, depois de questionada pelos jornalistas sobre as medidas contra a imigração ilegal que estão a ser preparadas pelo governo de Sílvio Berlusconi.

A vice-presidente sublinhou que "a imigração é um fenómeno necessário, bom sempre que seja legal e ordenado" e que a política que se aplica em Espanha está "baseada na lei, que permite reconhecer direitos e obrigações aos imigrantes".

"O governo espanhol não partilha a política de expulsões sem respeito pela lei e pelos direitos e muito menos actuações que podem exaltar a violência, o racismo e a xenofobia", afirmou Maria Teresa de la Vega, recordando que existem "mecanismos legais para combater a imigração ilegal".

"Esses são os mecanismos que devem ser usados e não outros", criticou.

A crítica espanhola não foi bem recebida em Itália, com o partido Itália dos Valores, aliado do Partido Democrata, na oposição, a denunciar uma "ingerência inaceitável".

TM/ARA.

Lusa/Fim

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/48340226fe65faa60fe99e.html

domingo, 25 de janeiro de 2009

Relato de sonho desta noite

Eu cortando os cabelos = pelos, não alguém cortando meus cabelos mas eu cortando cabelos de outros,
dias atrás sonhei com um spin cabelereiro cortando meus cabelos = pelos

No sonho desta noite não recebi nenhum centavo pelo corte, pelo contrário, paguei 5 reais

ah, esqueci-me de relatar adequadamente este sonho aparentemente
simples
isso

1.Visão, o primeiro momento
Eu cortando cabelo

2.Forma, o segundo momento
Assista a este vídeo e veja um corte de cabelo, achei este vídeo mediante pesquisa na web
Assim dou visualidade ao sonho desta noite, estou com preguiça de dar visualidade a este sonho.
http://video.filestube.com/video,6e8974e00d0e682603e9.html

3.Conhecimento, o terceiro momento
O que significa este sonho?
Os sonhos são uma forma de você sair da rotina = mesmice, um jeito de não virar pedra, isto se você vivenciar cada sonho, dar visualidade a eles, por mais "insignificantes" que sejam, na verdade não existe sonho sem sentido, eles (0s sonhos) nos levam a aprender = apreender
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20081231083822AAsxsHy

domingo, 11 de janeiro de 2009

Acabei de chegar a Anápolis video


Ao chegar a esta cidade-estado vi-me em frente a uma igreja com estranhos escritos, entrei e almocei, aqui
Isto

domingo, 4 de janeiro de 2009

Estou aqui

Este blog = espaço = tempo estava vazio mas já não mais está
( )Notícias da cidade-estado onde estou
Não vês?
Fonte: Jornal do Tocantins, 4 de janeiro de 2009 = 4 de marte de 2009
Não eu, mas ele, o Idéia
Grato,
Idéia Sem Pátria = Mátria
Não vês?